Quem convive comigo sabe que detesto marcar coisas de manhã. Para mim, as primeiras horas do dia servem para eu me ambientar, fazer coisas por mim e focar na prioridade do dia.

E não sou a única. Diversos autores abordam o tema de que como você gasta as horas iniciais após acordar impacta diretamente no restante do seu dia. Seja o milagre da manhã , good morning, good life , clube das 5h da manhã ou o caminho do artista , todos esses livros concordam que deter o controle do que acontece na sua manhã é essencial para ter um bom dia. Basta fazer uma busca rápida e ver quanto se fala disso pela internet.

A febre é tanta que chegou até ao Tiktok com o desafio 75 hard.

Ah, Iohana, mas eu acordo correndo para trabalhar, logo que acordo preciso correr para arrumar meus filhos para a escola, etc.

Na parte dos filhos eu confesso que não tenho experiência, mas acredito que (tirando a fase do puerpério) os mesmos conselhos se apliquem.

Se temos um horário específico, demarcado por fatores externos, para começar "oficialmente" o dia, então temos que acordar mais cedo e com tempo suficiente para aproveitar o período antes de "sair de casa" (aqui eu uso esse termo entre aspas pois com o trabalho em casa sendo cada vez mais frequente, sair de casa apenas quer dizer começar a trabalhar).

Ah, mas eu já durmo pouco, não quero acordar ainda mais cedo.

Na realidade, esse é o problema. Você não precisa dormir pouco, apenas precisa dormir mais cedo. A questão toda é que quando começamos o dia correndo e fazendo mil e uma coisas que não queremos, quando chega o fim do dia, focamos em prazeres rápidos pois sentimos que finalmente temos o controle da nossa vida. Aí que está TODO o ponto central desse post.

Ao dormir mais cedo e acordar mais cedo, você começa o dia nos SEUS termos, fazendo POR VOCÊ o que VOCÊ QUER. Assim você consegue mudar o sentimento de que o seu dia não é propriamente seu.

Hoje o post é uma tradução livre de um post do blog philofaxy. Entrei em contato com o seu criador Steve Morton pedindo permissão para usar o seu conteúdo na íntegra (texto e fotos) para ajudar o maior número de pessoas com as suas dicas.


Muitas vezes as argolas ficam com um vão, não fechando direito e agarrando as folhas na hora de virar, seja por algum defeito de fabricação ou por abrirmos incorretamente com frequência. Como podemos resolver isso? Existem truques e dicas que podem ajudar nesse momento.

Como devem ser boas argolas?



Iremos tratar de forma diferente os diferentes tipos de problemas e argolas.

Danos irreparáveis



Argolas removíveis

Se as suas argolas são removíveis, o ideal é apenas substituí-las por um conjunto novo.



Anéis encostando mas não fechando corretamente.


Se as suas argolas se parecem com isso:



Isso é quando as duas partes das argolas não estão corretamente alinhadas internamente. Algumas vezes é possível corrigir esse erro abrindo e fechando as argolas pelas abas nas pontas do conjunto. Fazer isso de 10 a 20 vezes pode colocar elas novamente no lugar. Você pode fazer pequena pressão longitudinal para acelerar o processo.

Note que a foto é de uma condição bastante exagerada. Normalmente não é tão ruim assim.

Diferença de altura entre as duas metades dos anéis



Inicialmente, tente abrir e fechar o conjunto de argolas algumas vezes, se todos os anéis de um mesmo lado estão mais altos, pode ser algo no mecanismo interno que está deslocado e você pode ser capaz de arrumar apenas pressionando para baixo.

Se apenas um ou dois anéis estão mais elevados, pressione com mais força esses anéis específicos. Mas seja cuidadosa, não usei força demais.

Vãos pequenos - problema mais comum

Se as argolas estão perfeitamente alinhadas quando você aperta as duas metades, com pequenos vãos entre eles, seja na vertical ou horizontal, essa correção pode funcionar. Se os anéis estiverem torcidos de alguma outra forma, não funcionará.

Se houver folga em todos os anéis, algo está errado internamente. Em argolas que não são presas com rebites, solte a placa de cobertura e verifique o mecanismo interno visualmente. Prese atenção nas abas, para que elas não estejam segurando o mecanismo aberto. Tente levantar e abaixar as abas e cada extremidade e observe os anéis para ver se a folga diminui.

Se não forem as abas ou se os anéis forem do tipo rebitado (fixo) (Malden, Finsbury etc) não muito o que fazer.

Se a lacuna for pequena em apenas 2 ou 3 anéis, essas instruções funcionarão em quase todos os casos.

ATENÇÃO: Siga estas instruções com cuidado e precisão. Se você apertar muito, consertará um problema, mas criará outro. Então aperte suavemente no início. Você fará isso por sua conta e risco...


Se você tem vãos como esses, mas os outros anéis estão ok: Em primeiro lugar, tente abrir e fechar os anéis algumas vezes usando apenas as abas nas pontas para abri-los.


Ainda tem algum problema?


Encontre algumas réguas, ou algo parecido. Eu escolhi réguas porque a maioria das pessoas as tem e elas ficam bem encaixadas entre os anéis sem que você precise ficar segurando-as no lugar. Além do mais, você pode ajustar a espessura adicionando ou subtraindo réguas.


Abra os anéis e coloque as réguas entre os anéis que estão bons e feche as argolas. Isso mesmo.



Agora aperte gentilmente o conjunto de anéis que está apresentando os vão. GENTILMENTE.




Remova as réguas e verifique se os anéis estão fechando. Ainda existe um vão? Se sim, repita o processo com um pouco mais de força.



Tirei as réguas e teste novamente.



Ainda existe um vão? Não... está consertado.


É melhor fazer pressões leves e repetir o processo muitas vezes do que tentar consertar o vão em apenas uma tentativa.


Essa correção já foi usada por muita gente, eu incluso (eu também!).


Essas são as dicas de ouro para consertar as suas argolas, caso seja necessário.


Espero que esse post tenha te ajudado. Caso precise de alguma dica extra, entra em contato comigo por DM no Instagram (@pleena.plan) e vejo como posso te ajudar.


*tradução do conteúdo e fotos autorizados pelo autor original

Trabalhar sentado é mais confortável do que trabalhar de pé. Mas até a bunda cansa quando a cadeira é ruim.


A minha cadeira já estava com 8 bons anos de uso e precisava ser trocada. Fico sentada muitas horas e, além dos rodízios já não deslizarem mais, ela estava rasgada e com o estofamento duro.


Parti, então para a pesquisa de cadeiras de escritório que fosse bonitas e ergonômicas. Posso aqui contar toda a história de como eu cheguei na cadeira escolhida e por que eu não comprei a cadeira gamer dos sonhos de muita gente (sou baixinha e minhas dimensões não ficam bem comportadas nesse tipo de cadeira). Mas sei que o que você quer é a resenha da cadeira que ganhou o meu coração: Marelli Move 2556.



Vamos ao que diz o site oficial:


Acompanha o fluxo da sua vida.

A Pop Art nasceu para acompanhar a vida moderna e a Move chegou para acompanhar o fluxo da sua vida! Assim, os ideais desse movimento artístico se misturam ao design ergonômico e contemporâneo, criando uma cadeira que permita que o seu corpo se expresse, se movimente e se adapte a qualquer espaço.


FUNÇÕES

• Encosto de espaldar alto, revestido em tela de alta, com estrutura de alta resistência à fadiga e impactos e 100% reciclável.

• Apoio lombar com revestimento em poliuretano (PU) de alta maciez.

• Assento em espuma injetada de alta qualidade com densidade e maciez controlada. Carenagem texturizada em polipropileno injetado.

• Mecanismo de reclinação através de sistema sincronizado com travamento em 3 posição. Sistema de regulagem da pressão da mola através de manipulo.

• Base giratória injetada em nylon ou em alumínio, de alta resistência, com rodízios de duplo giro.

• Apoio de braços em poliuretano (macio), com regulagem 3D (altura/giro/profundidade), acionada por botão.



Com três meses de uso, posso concordar com o copy da cadeira. Ela realmente permite que "o seu corpo se expresse, se movimente e se adapte". Antes eu precisava levantar para pegar diversos materiais, agora é só correr a cadeira e tá tudo certo. Já que estamos falando de bons rodízios (grandes e fortes), vamos ir subindo. O pé da minha é de alumínio (dependendo da cor, pode ser de nylon), é muito forte e bonito. Gosto de apoiar os pés neles quando não estou usando o meu apoio de pés (pois não consigo encostar os meus pés no chão). O assento é de espuma revestida com tecido mesclado. Gostei pois no verão a pele não gruda com o suor. Outro ponto muito positivo é o encosto de tela que fica muito fresquinho nos dias quentes.




A cadeira também possui apoio para a lombar, que é firme e suficientemente macio. Dá para regular durante a montagem a posição do encosto, se mais para frente (fica um espaço de assento um pouco menor) ou mais para trás (para quem tem pernas mais longas). Eu regulei o mais para frente possível. Aliás, a montagem é muito fácil e já vem com as ferramentas necessárias. Também é possível ajustar a inclinação com uma alavanca na lateral, bem como se essa inclinação será fixa ou variável conforme você se mexe. Ah, também existe controle da tensão da mola para você regular essa movimentação conforme o seu peso.




Por último, temos as regulagens dos braços. Eles podem ser regulados na sua altura e posição mais aberta ou mais fechada. Esse, para mim, é o único ponto negativo. Eu costumo me apoiar nos braços para me ajeitar na cadeira e, por serem lateralmente móveis, às vezes eu escorrego (meu erro de uso, afinal não foi para isso que eles foram projetados).


Gostei muito dessa cadeira e definitivamente recomendo. Mas vale a pena dar uma pesquisada nos valores pois no site oficial costuma ser um valor bem maior do que em outras lojas. Fiquei muito feliz com a minha compra e compraria novamente.