Para mim, a melhor parte de ter uma rotina é não ter que decidir. Eu não tenho uma escolha a fazer. Todos os dias de manhã eu acordo, escovo os dentes, cuido da minha pele, ligo a chaleira, passo café e escrevo. Eu não tenho escolhas a fazer.

Está na minha rotina que sexta-feira às 9h da manhã eu tenho treino na academia. Eu não tenho que tomar a decisão se vou ou não, se faço musculação, caminhada ou ioga. Isso me dá uma paz de espírito.

Eu já tenho que tomar tantas decisões na minha vida, preciso me lembrar de tantas coisas, a lista de tarefas não acaba nunca. Se não fosse o estabelecimento de rotinas, eu acho que o meu cérebro explodiria.

Esse assunto me remete a dois livros: O poder do hábito e O poder da decisão. O primeiro explica como funciona o ciclo dos hábitos (deixa, rotina, recompensa). O segundo, muito menos conhecido, fala sobre como tomamos decisões e como temos uma capacidade limitada por dia para elas.

É curiosos como que quando somos crianças queremos tomar as nossas próprias decisões, mas depois de adultos não queremos mais nem decidir o que comer no almoço. O que vier está bom.

Voltando à parte das rotinas... Se eu estabeleço a rotina de planejar as refeições, ou até mesmo o que vestir, uma vez por semana, faço todas as decisões em um único momento e não tenho mais que tomar decisões durante a semana aquele respeito.

Você já se perguntou o por quê de alguns figurões do vale do silício usarem sempre a mesma roupa? Além da jogada de marketing de gerar um "uniforme", eles também diminuem a fadiga mental de tomar a decisão sobre o que vestir. Como falei, temos um número limitado de boas decisões a tomar durante um dia. Aí que vem o papel da rotina, salvando as nossas mentes e abrindo espaço para pensarmos no que mais importa e fazermos melhores escolhas.


Dá próxima vez que você ficar com preguiça em desenvolver um novo hábito, estabelecer uma nova rotina, lembre-se que a sua carga mental ficará mais leve.



*o post contém links afiliados. comprando por esse link você não terá nenhum custo extra e estará apoiando o site ;)

Eu acabei de ver no TikTok e tive que vir direto aqui escrever sobre isso.

O vídeo que apareceu pra mim foi da conta @tedtoks, não sei se é original ou não, mas o conteúdo é incrível e decidi compartilhar por aqui.

Muitas vezes nos sentimos cansadas, mesmo depois de uma noite bem dormida. Mas por que isso acontece?

Existem 7 diferentes tipos de descanso, são eles:


  1. Descanso físico: Aquele que ao dormir, receber uma massagem, fazer ioga etc, nos sentimos renovados.

  2. Descanso mental: Devemos tirar alguns pequenos momentos do dia para "desligar a mente", manter sempre o planner por perto para anotar qualquer pensamento que tivermos e não tentar lembrar tudo de cabeça.

  3. Descanso sensorial: Sabe quando desligamos o ar condicionado ou o ventilador depois de estarem muito tempo ligados? Essa sensação de alívio que dá. Desligar equipamentos ruidosos, desligar as telas, minimizar os estímulos externos.

  4. Descanso criativo: Entre em contato com coisas, ambientes, situações inspiradoras. Desenhe, olhe para imagens agradáveis (alô vídeo de gatinho depois de ver filme de terror).

  5. Descanso emocional: Permita-se expressar exatamente o que sente, sem a necessidade de agradar alguém. Coloque a sua vontade em primeiro lugar.

  6. Descanso social: Quais relacionamentos de cansam e quais te energizam (presencial ou virtualmente)? Dar uma pausa das redes sociais, se recolher e ficar só ou apenas com quem lhe acrescenta energia positiva.

  7. Descanso espiritual: Aqui não falo de religião, mas sim da prática espiritual. Seja oração, meditação, conversar com uma pessoa que você considere sábia, que te faça sentir amada, aceitada e com um senso de propósito na vida.

Na minha vida eu costumo dizer que vou "vegetar um pouco" quando vou assistir TV (principalmente algum seriado muito idiota, que não precisa pensar). Nesse momento eu estou ativando os descansos mental e criativo, afinal não preciso pensar e nem criar nada, e ainda posso assistir alguma coisa bem água com açúcar que me inspira.


Para descanso emocional e social eu me retiro para o quarto e leio, leio até dormir. E meu descanso espiritual acontece pelas manhãs quando escrevo e leio a meditação do dia.

Acho interessante fazer listas de atividades para cada um desses tipos de descanso e distribuí-las ao longo dos dias, assim conseguimos nos manter revigoradas.




(Aviso: as informações aqui compartilhadas são a minha interpretação, ideias ou tradução livre do conteúdo de https://ideas.ted.com/the-7-types-of-rest-that-every-person-needs/ )

Vamos fingir que eu continuei postando aqui desde setembro de 2020? Não? Ok, vou contar o que aconteceu desde então.

gif

Faz mais de ano que não escrevo para o blog e não posto conteúdo nesse formato. O instagram não parou em nenhum momento e os vídeos no YouTube apenas deram uma diminuída na frequência, mas uma das minhas resoluções de 2022 é voltar a produzir conteúdo em todas as plataformas que eu ou a pleena nos encontramos.

No final de 2020 tive um estresse muito grande com um fornecedor, que me tirou dos trilhos e perdurou até fevereiro de 2021. Aí que a coisa toda começou a desandar (aqui no blog, pelo menos). Durante o primeiro semestre de 2021 procurei e desenvolvi fornecedores para suprir as necessidades que o fornecedor antigo não estava atendendo. As vendas da pleena se estabilizaram (passou a loucura da procura por planners de final e início de ano) e eu comecei a trabalhar no Cappra Institute for Data Science.

Durante todo o segundo semestre do ano passado (2021) equilibrei os três projetos que eu estava tocando em paralelo, sozinha e, obviamente, não consegui dar conta de tudo com sanidade mental.


gif


Na segunda metade do ano, decidi chamar ajuda para algumas coisas e terceirizar outras. Coloquei a cabeça no lugar para ver aonde EU, pessoalmente, agrego valor (design, comunicação, marketing, revisão, editorial etc) e aonde não (cortar, furar, imprimir, limpar a casa etc). Então evoluí a empresa e a minha vida pessoal nessa frente de delegar tarefas.

Quando eu criei a pleena, sempre sonhei em crescer e expandir, tanto é que nunca divulguei o meu trabalho como sendo artesanal, por mais que assim o seja. Sendo assim, preciso tratar da minha empresa como tal, e não como uma extensão da minha própria pessoa.

Então, nos encontramos agora em Janeiro de 2022, eu com ajuda em casa e na empresa, e podendo me dedicar a agregar valor produzindo conteúdo e criando os melhores produtos para vocês.

Estou feliz em estar de volta à escrita, uma arte que sempre fez parte da minha vida.

Até breve.

Iohana