Hoje o post é uma tradução livre de um post do blog philofaxy. Entrei em contato com o seu criador Steve Morton pedindo permissão para usar o seu conteúdo na íntegra (texto e fotos) para ajudar o maior número de pessoas com as suas dicas.


Muitas vezes as argolas ficam com um vão, não fechando direito e agarrando as folhas na hora de virar, seja por algum defeito de fabricação ou por abrirmos incorretamente com frequência. Como podemos resolver isso? Existem truques e dicas que podem ajudar nesse momento.

Como devem ser boas argolas?



Iremos tratar de forma diferente os diferentes tipos de problemas e argolas.

Danos irreparáveis



Argolas removíveis

Se as suas argolas são removíveis, o ideal é apenas substituí-las por um conjunto novo.



Anéis encostando mas não fechando corretamente.


Se as suas argolas se parecem com isso:



Isso é quando as duas partes das argolas não estão corretamente alinhadas internamente. Algumas vezes é possível corrigir esse erro abrindo e fechando as argolas pelas abas nas pontas do conjunto. Fazer isso de 10 a 20 vezes pode colocar elas novamente no lugar. Você pode fazer pequena pressão longitudinal para acelerar o processo.

Note que a foto é de uma condição bastante exagerada. Normalmente não é tão ruim assim.

Diferença de altura entre as duas metades dos anéis



Inicialmente, tente abrir e fechar o conjunto de argolas algumas vezes, se todos os anéis de um mesmo lado estão mais altos, pode ser algo no mecanismo interno que está deslocado e você pode ser capaz de arrumar apenas pressionando para baixo.

Se apenas um ou dois anéis estão mais elevados, pressione com mais força esses anéis específicos. Mas seja cuidadosa, não usei força demais.

Vãos pequenos - problema mais comum

Se as argolas estão perfeitamente alinhadas quando você aperta as duas metades, com pequenos vãos entre eles, seja na vertical ou horizontal, essa correção pode funcionar. Se os anéis estiverem torcidos de alguma outra forma, não funcionará.

Se houver folga em todos os anéis, algo está errado internamente. Em argolas que não são presas com rebites, solte a placa de cobertura e verifique o mecanismo interno visualmente. Prese atenção nas abas, para que elas não estejam segurando o mecanismo aberto. Tente levantar e abaixar as abas e cada extremidade e observe os anéis para ver se a folga diminui.

Se não forem as abas ou se os anéis forem do tipo rebitado (fixo) (Malden, Finsbury etc) não muito o que fazer.

Se a lacuna for pequena em apenas 2 ou 3 anéis, essas instruções funcionarão em quase todos os casos.

ATENÇÃO: Siga estas instruções com cuidado e precisão. Se você apertar muito, consertará um problema, mas criará outro. Então aperte suavemente no início. Você fará isso por sua conta e risco...


Se você tem vãos como esses, mas os outros anéis estão ok: Em primeiro lugar, tente abrir e fechar os anéis algumas vezes usando apenas as abas nas pontas para abri-los.


Ainda tem algum problema?


Encontre algumas réguas, ou algo parecido. Eu escolhi réguas porque a maioria das pessoas as tem e elas ficam bem encaixadas entre os anéis sem que você precise ficar segurando-as no lugar. Além do mais, você pode ajustar a espessura adicionando ou subtraindo réguas.


Abra os anéis e coloque as réguas entre os anéis que estão bons e feche as argolas. Isso mesmo.



Agora aperte gentilmente o conjunto de anéis que está apresentando os vão. GENTILMENTE.




Remova as réguas e verifique se os anéis estão fechando. Ainda existe um vão? Se sim, repita o processo com um pouco mais de força.



Tirei as réguas e teste novamente.



Ainda existe um vão? Não... está consertado.


É melhor fazer pressões leves e repetir o processo muitas vezes do que tentar consertar o vão em apenas uma tentativa.


Essa correção já foi usada por muita gente, eu incluso (eu também!).


Essas são as dicas de ouro para consertar as suas argolas, caso seja necessário.


Espero que esse post tenha te ajudado. Caso precise de alguma dica extra, entra em contato comigo por DM no Instagram (@pleena.plan) e vejo como posso te ajudar.


*tradução do conteúdo e fotos autorizados pelo autor original

Trabalhar sentado é mais confortável do que trabalhar de pé. Mas até a bunda cansa quando a cadeira é ruim.


A minha cadeira já estava com 8 bons anos de uso e precisava ser trocada. Fico sentada muitas horas e, além dos rodízios já não deslizarem mais, ela estava rasgada e com o estofamento duro.


Parti, então para a pesquisa de cadeiras de escritório que fosse bonitas e ergonômicas. Posso aqui contar toda a história de como eu cheguei na cadeira escolhida e por que eu não comprei a cadeira gamer dos sonhos de muita gente (sou baixinha e minhas dimensões não ficam bem comportadas nesse tipo de cadeira). Mas sei que o que você quer é a resenha da cadeira que ganhou o meu coração: Marelli Move 2556.



Vamos ao que diz o site oficial:


Acompanha o fluxo da sua vida.

A Pop Art nasceu para acompanhar a vida moderna e a Move chegou para acompanhar o fluxo da sua vida! Assim, os ideais desse movimento artístico se misturam ao design ergonômico e contemporâneo, criando uma cadeira que permita que o seu corpo se expresse, se movimente e se adapte a qualquer espaço.


FUNÇÕES

• Encosto de espaldar alto, revestido em tela de alta, com estrutura de alta resistência à fadiga e impactos e 100% reciclável.

• Apoio lombar com revestimento em poliuretano (PU) de alta maciez.

• Assento em espuma injetada de alta qualidade com densidade e maciez controlada. Carenagem texturizada em polipropileno injetado.

• Mecanismo de reclinação através de sistema sincronizado com travamento em 3 posição. Sistema de regulagem da pressão da mola através de manipulo.

• Base giratória injetada em nylon ou em alumínio, de alta resistência, com rodízios de duplo giro.

• Apoio de braços em poliuretano (macio), com regulagem 3D (altura/giro/profundidade), acionada por botão.



Com três meses de uso, posso concordar com o copy da cadeira. Ela realmente permite que "o seu corpo se expresse, se movimente e se adapte". Antes eu precisava levantar para pegar diversos materiais, agora é só correr a cadeira e tá tudo certo. Já que estamos falando de bons rodízios (grandes e fortes), vamos ir subindo. O pé da minha é de alumínio (dependendo da cor, pode ser de nylon), é muito forte e bonito. Gosto de apoiar os pés neles quando não estou usando o meu apoio de pés (pois não consigo encostar os meus pés no chão). O assento é de espuma revestida com tecido mesclado. Gostei pois no verão a pele não gruda com o suor. Outro ponto muito positivo é o encosto de tela que fica muito fresquinho nos dias quentes.




A cadeira também possui apoio para a lombar, que é firme e suficientemente macio. Dá para regular durante a montagem a posição do encosto, se mais para frente (fica um espaço de assento um pouco menor) ou mais para trás (para quem tem pernas mais longas). Eu regulei o mais para frente possível. Aliás, a montagem é muito fácil e já vem com as ferramentas necessárias. Também é possível ajustar a inclinação com uma alavanca na lateral, bem como se essa inclinação será fixa ou variável conforme você se mexe. Ah, também existe controle da tensão da mola para você regular essa movimentação conforme o seu peso.




Por último, temos as regulagens dos braços. Eles podem ser regulados na sua altura e posição mais aberta ou mais fechada. Esse, para mim, é o único ponto negativo. Eu costumo me apoiar nos braços para me ajeitar na cadeira e, por serem lateralmente móveis, às vezes eu escorrego (meu erro de uso, afinal não foi para isso que eles foram projetados).


Gostei muito dessa cadeira e definitivamente recomendo. Mas vale a pena dar uma pesquisada nos valores pois no site oficial costuma ser um valor bem maior do que em outras lojas. Fiquei muito feliz com a minha compra e compraria novamente.


Perguntei lá nos meu instagram (@pleena.plan) se vocês gostariam que eu diversificasse um pouco os posts aqui do blog, trazendo alguns assuntos de estilo de vida etc.

Pensando nos vídeos de favoritos do mês que rolam no Youtube ( e que eu amo assistir) e também que muitas vezes, no nosso planner, fazemos uma lista de memórias de mês que passou, vim aqui falar dos assistidos, lidos e consumidos do primeiro trimestre do ano.

ASSISTIDOS


Elite (1-3ª temporadas): 3/5 Ainda estou assistindo (3ª temporada). Achei legal, traz temas pesados, mas tem uma vibe adolescente (afinal se passa em uma escola de "ensino médio").









Arquivo 81 (1ª temporada): 4/5 Curti muito. É um suspense meio de terror com espiritualidade, meio de ET. Acho que vale dar uma chance se você gosta de ficar tensa e descobrir o que está acontecendo.





Garota exemplar (filme) 5/5: Eu ainda não tinha visto esse clássico de 2014. Um baita filme, suspense também, com um daqueles finais que não tem como ficar indiferente.









The woman in the house across the street from the woman in the window (1ª temporada): 3/5 Meio comédia, meio suspense. Acho legal para ficar de molho no sofá no final de semana sem ter que pensar muito. Por mim, uma temporada bastava. Acho a última cena completamente dispensável.





Sweet magnolias (2ª temporada): 3/5 Você quer se sentir bem? Sem grandes emoções, sem grandes atuações ou tramas? Esse é o seriado. Esse trimestre eu vi a segunda temporada. O que me irritou um pouco é a intensidade que eles mencionavam religião, completamente dispensável para a trama.



Bridgerton (2ª temporada): 3/5 Essa temporada foi bem fraca comparada com a primeira. Vi tantas críticas sobre a adaptação que eu, pessoa que prefere livros de fantasia, estou querendo ler os livros para limpar a imagem boba que ficou nessa temporada. A primeira temporada foi 5/5 para mim.





A filha perdida (filme) 4/5: Atuação incrível da Olivia Colman. O filme é meio chato, mas pra mim chato e ruim são coisas BEM diferentes. Ele toca, de forma muito apropriada, em um ponto muito relevante da maternidade que é tabu, a relação mãe/mulher (mulher pessoa, não esposa).






JOGO



Stardewvalley 5/5: Estou apaixonada por um RPG tranquilo e de fazendinha (quem diria)... Além de jogar, tenho visto vários vídeos no Youtube sobre como desbravar e conseguir o maior lucro possível com a minha fazenda.

LIVROS




Rápido e devegar: 1/5 Todo esse livro poderia ser resumido em 20 páginas. A ideia é ótima, a execução foi péssima. O autor, Daniel Kahneman, tem o objetivo de nos mostrar a diferença entre o pensamento rápido (intuitivo e emocional) e o devagar (lógico e ponderado), e como nós somos preguiçosos e usamos muito mais o nosso pensamento rápido. A parte maçante é que ele conta muitos exemplos que no final dizem a mesma coisa.


Ruthless boys of the zodiac (série): 4/5 Spicy, RH. Uma série de 5 livros independentes, britânicos. Definitivamente não é uma obra-prima, mas cumpre muito bem o seu papel de ser uma distração para o dia a dia. A história veio para ocupar o espaço da minha série de livros favorita das autoras "Zodiac Academy", enquanto espero o oitavo livro sair em dezembro. Conta a história de uma garota que tenta encontrar o assassino do irmão. Mas... convenhamos, esta é a parte menos interessante dos livros.



Uma coisa que vale a pena comentar: eu leio no Kindle, minha paixão desde 2016. Sim, eu era uma dessas que dizia que nunca teria um kindle, que não substituía etc. Mas é perfeito e, depois que você começa a ler no Kindle, não larga nunca mais. Eu tenho um Kindle Paperwhite com iluminação embutida.

COMIDA/BEBIDA




White russian: Drink de vodca, creme de leite e licor de café que virou o meu favorito nas minhas "férias trabalhando".




Café da manhã de hotel: também das férias. Queria ter um café da manhã desses todos os dias... mas acho que a minha balança ia reclamar.


Esses foram os meus favoritos do primeiro trimestre de 2022. Todas as opiniões aqui são minhas, pessoais. Os links são afiliados, eu ganho um pequeno percentual caso você use eles, mas você não paga nada a mais por isso.